Boas ideias: Midiateca Instituto Olinto
18 de maio de 2021
Como ensinar ecologia às crianças?
1 de junho de 2021
Exibir tudo

5 dicas para o cultivo de temperos em casa

Você adora ter um tempero fresco em um vaso num cantinho da casa mas percebe que as ervas não crescem como você gostaria, ou morrem pouco tempo após plantadas, ou até mesmo nem chegam a germinar? Talvez você esteja fazendo alguma coisa errada no cultivo.

Pensando nisso, listamos 5 dicas para que você tenha temperos em vasinhos de forma correta. Veja quais são:

  1. Observe a incidência de sol no local
    Já pensou onde esses vasinhos vão ficar? Como é a incidência de luz solar? Esse é um ponto importante. A maior parte dos temperos gosta de longas horas de sol, portanto tente escolher um lugar que receba sol por mais horas do dia.
  2. Conheça os temperos que você irá plantar
    Algumas plantas como alecrim, orégano, salvia e tomilho gostam de solo mais arenoso, por isso podem ser cultivados no mesmo vaso. É um grupo que também costuma ser mais resistente a variações climáticas.

    Já o hortelã, o manjericão e a salsa, por exemplo, exigem mais cuidados. São plantas que gostam de um solo mais rico em matéria orgânica e que curtem umidade. Portanto, também podem ser plantadas no mesmo espaço.
    Entretanto, algumas plantas como o alecrim e o hortelã tentem a crescer mais bonitos e vistosos se cultivados cada um em vaso único. A dica é conhecer as características de cada planta que você pretende cultivar para então definir como será feito o plantio.
  3. Escolha o vaso apropriado
    O material de que é feito o vaso pode interferir na periodicidade de regas. Assim, existem materiais que absorvem e outros que acumulam água.

    Vasos de barro, por exemplo, puxam a umidade da terra (a não ser que sejam impermeabilizados internamente). Já os vasos de plástico mantêm a umidade por mais tempo. Assim, para quem não tem muita experiência com jardinagem, o vaso de plástico é o mais indicado, pois permite uma melhor avaliação da necessidade de rega.

    Outra boa opção é o vaso auto irrigável, que contém um reservatório de água separado da área do substrato. Uma das maiores vantagens é que esse tipo de vaso isola o excesso de água das raízes da planta. Para quem esquece de regar, essa é uma das melhores alternativas para cultivar temperos.
  4. Use o sistema de camadas
    Para deixar suas plantas mais bonitas e saudáveis, aposte no sistema de três camadas. Assim, ao preparar um vaso para receber seus temperos, comece fazendo a camada de drenagem. Para essa deve ser feita uma faixa de argila expandida ou de brita e ser finalizada com a manta de drenagem, também conhecida como manta de bidim.

    A segunda camada é a de substrato (que pode ser terra misturada com húmus ou areia, conforme a necessidade da planta). E a terceira é a chamada cobertura, que impede que os nutrientes e a água evaporem com rapidez. Assim, a última camada deve ser de folhas secas ou cascas de pinus.
  5. Faça a colheita da forma correta
    Para plantas de caule rígido, como o alecrim, a colheita deve ser feita com corte em torno de 5 a 7 centímetros finais do ramo escolhido. Devem ser priorizados os ramos que estiverem mais altos.

    Já nos temperos e ervas de caules semi-rígidos, como manjericão, hortelã e salvia, deve-se cortar abaixo dos pares de folhas terminais. A dica é podar o ramo logo acima do nó (bifurcação), isto permite que o ramo continue crescendo.

    Por fim, lembre-se que certos temperos e ervas, como a salsinha, cebolinha, manjericão e hortelã, são considerados “anuais”. Isso significa que o ciclo deles dura em média 12 meses. Então, por mais que você capriche nos cuidados, essas plantas acabarão morrendo naturalmente em cerca de um ano. Então, aproveite o período para colher à vontade e preparar aquele prato com mais sabor e aroma de deixar a vizinhança com água na boca!

Fonte: https://blog.thony.com.br/como-plantar-temperos-em-vasos/#:~:text=Para%20deixar%20suas%20plantas%20mais,com%20a%20manta%20de%20drenagem.

E aí, preparado para ter seu cantinho de temperos em casa? Aproveite para conferir outros conteúdos sobre natureza e educação aqui em nosso blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *